Procurar  
























Registe-se no nosso WebSite

Nome
 
País/Localidade
 
Email
 

Peter Boehme, um alemão apaixonado por Fão

Empresário que correu o mundo inteiro, encontrou em Fão o seu paraíso
Quando, há 16 anos atrás, e por mera causalidade, já que os principais hotéis do norte de Espanha até Viana do Castelo estavam cheios, uns amigos lhe fizeram a reserva para 2 semanas de férias no Hotel de Ofir em Fão, Peter Boehme e sua esposa Sonja, estariam longe de imaginar, que este seria um local onde iriam passar grande parte dos seus tempos livres, tal o encantamento encontrado.


Nascido no meio de uma cidade em ruínas em plena Guerra Mundial
Peter Boehme, nasceu na cidade de Hamburgo, em 1941, portanto, em plena IIi Guerra Mundial, que deixou este importante porto de mar alemão, completamente arrasado.
”Em pequeno, já com a guerra terminada e numa acelerada fase de reconstrução, ainda me lembro de ver muitos edifícios completamente arruinados, que para nós crianças, era até divertido, pois eram pontos onde recorrentemente procurávamos para brincar, como que se um mundo de fantasia se tratasse.
Já jovem, pude constactar o fantástico trabalho, que o homem conseguiu fazer, transformando Hamburgo numa cidade notável, com a sua dimensão, dinâmica e modernidade."


Estágio profissional na Vestefália encaminhou-o para o mundo da Exportação
Depois do ensino secundário Boehme foi para a Vestefália, onde fez um estágio profissional numa empresa de exportação de artigos para medicina, especiarias e químicos, tinha então apenas 19 anos.
Mais tarde, decidiu partir para França, onde estudou na Universidade de Sorbonne, em Paris, onde se formou em Marketing e Orientação e Comunicação Comercial.
Ainda em França, decidiu-se lançar como empresário com um colega, de uma pequena empresa de importação e distribuição de produtos “para a mesa” (louças, talheres e decoração) da Alemanha para França. O crescimento do negócio, fez com que em 3 anos já tivessem 15 colaboradores.


Contacto com grandes Chefes e enólogos cria novas paixões

Com este negócio de artigos para a restauração, e sua digulgação, obrigou-o a conhecer os grandes Chefes de Cozinha, principalmente em França, onde estavam os melhores do mundo na área, como também aconteceu mais tarde com enólogos e produtores de vinho, que o foram entusiasmando para o maior conhecimento da gastronomia e dos vinhos.
Com a abrupta queda do franco, Peter decide vender a sua empresa em 1970 e vai trabalhar para uma grande empresa americana de cutelaria como director de vendas e nessas funções e viaja por todo o mundo, nos 5 continentes. Em média, e nos 18 anos seguintes Boehme passava cerca de 10 meses do ano a viajar, passando longos períodos em grandes metrópoles como Nova York, Hong Kong, Londres ou Milão.
Esta vida de grande circulação não dava para pensar em família e só aos 40 anos conheceu Sonja, uma jornalista da TV alemã, com quem acabou por casar.
Trabalhando como Director de Marketing de uma empresa americana de louças em “pirex”, que estava em grande crescimento no mercado e nesta altura, viajava todas as semanas de França para a Alemanha, onde tinha a sua residência com Sonja.
Já um pouco cansado desta vida de constantes viagens, decide regressar vde vez à Vestefália, onde cria a sua própria empresa, que passa essencialmente a trabalhar na divulgação de outras empresas, principalmente na área das comidas, bebidas e até turismo, com uma especial vocação para os vinhos alemães e nesta fase trás também sua esposa para o ajudar como Realações Públicas, ela que nesta altura já trabalhava apenas como "freelancer" para a televisão.

A partir de então começam a trabalhar com grandes empresas, que sentem, a importância da divulgação no mercado mundial, do qual a sua empresa se vinha especializando e destacando.

Em Portugal pelas mãos da ViniPortugal
Em 1997, é contactado pela ViniPortugal, instituição que congregava a divulgação, promoção e exportação dos vinhos portugueses, numa fase em que este encetavam a sua afirmação no mundo, que lançam um concurso, que vencem entre vários candidatos.
Na ViniPortugal, trabalhou durante 10 anos, numa fase em que este organismo canalizou o seu marketing para o reino Unido, Estados Unidos e Brasil, deixando de parte outros países como por exemplo a Alemanha, o que para mim foi um grande erro estratégico.
Neste seu trabalho em Portugal, teve oportunidade de conhecer com pormenor todas as regiões vinícolas do país, imensas quintas e as pessoas ligadas à indústria do vinho.
Nesta fase, teve oportunidade de contactar os melhores enólogos e especialista dos vinhos portugueses, que foram aqueles que mais evoluíram na indústria em todo o mundo, com uma enorme qualidade e com preços imparáveis e que se tornou um negócio em evidente crescimento a todos os níveis.
Em 2007, deixa a Vini Portugal e muda a estratégia da sua empresa, lançando-se na comunicação do ciberespaço, especializando-se na divulgação das empresas através de meios como o Facebook, ou o Instagram, com grande aposta nos audiovisuais, para um leque cada vez mais variado de clientes, como por exemplo a própria Federação de Futebol.

Em Fão, por uma casual reserva de férias no Hotel de Ofir
Em Maio de 2001, pediram para lhes fazerem uma reserva para passarem umas férias de 2 semanas na Galiza ou norte de Portugal, e nessa altura por estarem sem disponibilidade muitos hotéis nessa época, os nossos amigos foram descendo até encontrarem vaga em Ofir, daí que viemos cá ter um pouco ao desconhecido.

”Foi uma causalidade muito feliz, pois aqui encontrei um autêntico paraíso e passamos 15 dias fantásticos!”
Logo à partida o mar, é algo que me atrai naturalmente, foi sempre tive o gosto e o instinto de marinheiro, mas a beleza desta praia, as dunas e toda a envolvência é maravilhosa.
Com certeza que a parte emocional também foi e é um factor de grande aproximação e afeição a esta região, pois as pessoas são incrivelmente hospitaleiras, como não se encontra em qualquer parte do mundo.

Peter Boehme, que nos habituamos a ver jogar golfe na praia de Ofir com a sua esposa, foi praticante de vários desportos, como hóquei em campo, e ténis, mas com a meia idade, veio o gosto pelo golfe.
Em Portugal, que conhece de lés-a-lés, já jogou em vários campos desde o Algarve, até Amarante ou Ponte de Lima, jogando também na Quinta da Barca, mas mais assiduamente, na Estela, um campo de Golfe, para si o melhor em Portugal, com um bela e interessante envolvência, com a proximidade do mar, as elevações junto às dunas e o vento, que cria aquele grau de dificuldade que todos os bons jogadores desta modalidade apreciam.


”Mas esta praia, é também um excelente local para treinar e dar umas belas tacadas, principalmente na baixa mar, que para além de um quadro de enorme beleza, se torna um extenso areal, onde se pode ir jogar e caminhar longamente, com muito prazer.”

É urgente que se tomem medidas preventivas para preservar esta beleza natural

”Se nos primeiros anos, ficávamos alojados no Hotel, agora que os períodos em Fão foram aumentando, como por exemplo este ano em que já cá estamos há mais de 6 meses, agora com um apartamento alugado, a tendência a ficarmos cada vez mais tempo, até porque agora no meu negócio deixei de estar presencialmente envolvido, pois o meu escritório é o telemóvel e as nossas reuniões e conversas são feitas por vídeo conferência ou via electrónica e desta forma estou mais perto dos nossas agências que estão situadas na Suíça e na Alemanha.”
Claro que os amigos e a família (tem um filho e um neto, que recentemente nos vieram visitar) reclamam sempre pela ausência, mas é aqui que se sentem bem, num ambiente de rara beleza e enorme tranquilidade.
”Este é um local, estamos certos que vai continuar a crescer potencialmente na procura, mas também é urgente que as autoridades e as pessoas em geral, preservem a sua riqueza natural, protejam a corda dunar e mudem e façam mudar os mais hábitos. É frequente ver pessoas a caminharem e saltarem por espaços naturais, onde andam de sapatos e num parque natural é impensável andarem tantas máquinas como moto de água e outros, que deveriam ser protegidas e para isso também é preciso vigilância e atitude punitivas, pois a educação e sensibilização ambiental é importante, mas demora muito tempo . A maior preocupação neste momento acho que é a praia da Bonança, que se nada se fizer se vai transformar numa autêntica baía. ”

Turismo e gastronomia ímpares

Para Peter, Fão, é uma pequena vila, que me parece, com uma população maioritariamente idosa, com tudo para atrair cada vez mais visitantes, pois para além da grande beleza envolvente, também tem uma grande qualidade de vida, onde praticamente não falta nada e tem a sede de concelho tão perto, que a complementa muito bem em termos de serviços, a única lástima são estas torres que deixaram construir junto à praia.
”Mas, esta região é fabulosa e o norte de Portugal teve uma evolução sensacional, com um trabalho a vários níveis, principalmente no sector turísticos, para o que muito contribuiu a preservação do património histórico e cultural, o desenvolvimento e crescimento de sectores como restauração, a gastronomia, os transportes, os desportos de lazer e várias infraestrutura que foram criadas, quer nos acessos, quer na qualificação dos centros urbanos das principais cidades. O Porto, Braga, Guimarães, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Caminha, são localidades com muitos atractivos e grande beleza. Mas também os espaços naturais são fantáscticos, como por exemplo o Gerês, que é qualquer coisa de fantástico! Claro, que os incêndios são um flagelo, mas isso acontece um pouco por todo o mundo. O norte, já é muito visitado e cada vez se veem mais estrangeiros a visitarem a região, mas estou certo que vai aumentar ainda mais, mas para isso é importante que a promoção seja feita em conjunto, pois no seu todo é a mais fabulosa do mundo.
Bem, depois temos, aqui dos melhores vinhos do mundo, com a mais antiga e extraordinariamente bela região vinícola do mundo, que é o Douro e a gastronomia, que é única. Isso também se fica a dever aos grandes profissionais que despontaram neste país e teu tenho o privilégio de conhecer grande parte dos melhores Chefes.


Por aqui, por exemplo, conheci o António Loureiro (foto por cima), que era o Chefe de Cozinha aqui no Hotel de Ofir e mais tarde rumou ao Mélia, já foi o Cozinheiro do Ano e actualmente tem em Guimarães um restaurante de enorme qualidade, que em breve deverá tornar-se dos melhores do país. Mas, aqui também conheci o Pedro Araújo, um Chefe também muito bom e grandes Chefes pasteleiros como é o Francisco Gomes, de Barcelos, que é dos melhores que há em Portugal nesta arte.”

Uma boa gastronomia, é uma factor que eleva sobremaneira a restauração, os hotéis e o turismo em geral e em Portugal, particularmente nesta região está, segundo Peter Boehme está muito bem servido.

Passeando pela praia, numa hora de vazante e apenas 1 ou duas pessoas a uma distância razoável e esperando a chegada de Sonja, Peter ia-nos dando algumas dicas como bater uma bola de golfe, que corriam livremente e alegremente pelas finas areias da nossa praia, certas que não seriam engolidas por qualquer buraco, com o céu azul e o sol completamente desinibido em nuvens, fomos fazendo alguns registos deste alemão, completamente extasiado e esquecendo os 3 dias que havia passado de gripe no seu leito.

Eis que chega uma silenciosa e intrometida bola de golfe, impulsionada à distância pela Sonja, que ao aproximar-se exclama: ”Wunderbar!”, palavra alemã com o significado para maravilhoso, admirável ou espantoso, abrindo longamente os braços, como se encontrasse o um reino paradisíaco…

E após esta longa conversa, entre o sofá do hotel e a praia, lá deixei o comprometido e feliz casal, que depois de um longo abraço, continuaram a caminhar e a bater as bolas de golfe pelas areias douradas de Ofir, onde parece terem encontrado os seus “Campos Elísios” .

"Nós somos abençoados com este pedaço de terra: Praia de Ofir em Portugal"

Assim é legendada esta imagem de Ulf Peter Boehme, na sua página do Facebook, que definem bem o seu sentimento, de alguém que tem um mundo inteiro de referência para um público bem exigente, como são os alemães em particular e os seu vasto número de amigos nos 4 cantos do mundo.

Jose Belo
josebelo@novofangueiro.com

Nº de Visitas.: 0002826756
free log





Natal 2017: Grupo de Jovens de Fão ajudam famílias carenciadas







"O Novo Fangueiro"
Email de contacto: geral@novofangueiro.com